sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Pai de adolescente desaparecida em Poções faz apelo por ajuda



O Sr. Vivaldo Braga, pai da adolescente Juliana Araujo Braga, de 14 anos, que está desaparecida desde ontem (29) quando saiu de sua residência no bairro Primavera por volta das 11h, fez nesta sexta-feira um apelo para que ajudem a encontrar a filha. 

Ainda nessa sexta-feira, a família da adolescente registrou um boletim de ocorrência e o caso é investigado pela Polícia Civil da cidade.

Informações sobre o paradeiro de Juliana podem ser dadas através dos seguintes telefones: Delegacia de Polícia Civil - 77 3431-1206; 79° CIPM - 190; Conselho Tutelar - 77 3431-5814 ou 9989-0168.

Itagibá: Acusado de engravidar a filha é morto por colegas de cela

(Foto:Giro em Ipiaú)
O detento José Dias da Cruz, 54, foi torturado até a morte por seus colegas de cela no início da noite desta quinta-feira, 29, na delegacia de Itagibá. A vítima dividia o espaço da cadeia com mais seis detentos. Dias, foi preso no dia 07 de novembro, acusado de abusar da própria filha de quinze anos. Os abusos ocorreram durante quatro anos (lembrar matéria). A adolescente informou à polícia que era ameaçada pelo pai, com uma faca, caso contasse a alguém sobre os abusos. Na ocasião o acusado confessou o crime. José foi denunciado pela sua esposa após descobrir que a filha do casal estava grávida de seis meses. O corpo da vítima será encaminhado ao IML de Jequié e posteriormente liberado para o sepultamento. 

Fonte: (Giro em Ipiaú)

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Conselheiros tutelares participam de capacitação no Ministério Público

Assessoria de Comunicação Social        Classificação da Notícia: Infância e Juventude
28/11/2012 17:21:33
Redatora: Anbar - MTbBA 690

Conselheiros tutelares participam
de capacitação no Ministério Público

Empossados no mês de julho, conselheiros tutelares de Salvador e Madre de Deus participaram durante o dia de hoje, 28, do primeiro curso de capacitação promovido pelo Ministério Público estadual, por intermédio da 3ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude. Num momento em que, entre outras coisas, estão sendo traçados fluxos para a realização de megaeventos que vão acontecer em Salvador, eles recebem e/ou renovam conhecimentos sobre a importância do trabalho que terão nos Conselhos Tutelares (CTs), atuando em defesa da infância e da juventude e discutindo formas de melhorar a estrutura desses conselhos.

O curso teve a participação de promotores de Justiça que atuam em vários segmentos da área como Marly Barreto, Luís Alberto Figueiredo, Evandro Luís de Jesus, Cíntia Guanaes, Ana Bernadete de Andrade, Luscínia Queiroz, Lívia Muriry, além de psicólogos, assistentes sociais e pedagogos que integram a equipe e também proferiram palestra, seguida de debates. A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente, Auristela Leal esteve presente e participou da mesa de abertura feita pela coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Criança e do Adolescente (Caoca), promotora de Justiça Eliana Bloizi.

Em seu pronunciamento, Eliana enfatizou a parceria da Instituição na busca de melhorias para a infância e juventude. Ela lembrou que, embora o MP realize tarefas concernentes aos CTs até por conta de muitos deles estarem carentes da estrutura necessária ao seu funcionamento, também cabe ao MP fiscalizar o trabalho dos conselheiros. Isso o corre mesmo a Instituição sendo parceira e estando à disposição das entidades que atuam em prol das crianças e adolescentes para dar sua parcela de colaboração, registrou a promotora de Justiça .

Abordando a problemática da falta de estrutura, a promotora de Justiça Izabel Cristina Vitória Santos, responsável pelo acompanhamento e fiscalização dos conselhos e organizadora do curso, explicou que tramita na Justiça um processo que, julgado procedente, obrigará o município de Salvador, por meio da Secretaria de Ação Social (Setad), a promover a estruturação dos conselhos. Isso porque, tendo em vista que os conselheiros encontram dificuldades de atuar justamente por causa da falta de estrutura, o MP firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o atual prefeito para reparar esse problema e isso não foi cumprido. Por isso a 3ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude executou o TAC.

Declaração de Alckmin imputa erroneamente aos adolescentes a culpa pela violência em São Paulo

Justiça da Bahia revoga adoção de cinco crianças

SALVADOR - Juiz da comarca de Monte Santo, a 352 quilômetros de Salvador, na Bahia, Luiz Roberto Cappio determinou nesta terça-feira, 27, a revogação da guarda provisória, por parte de quatro casais paulistas, dos cinco filhos dos agricultores Gerôncio Brito Souza e Silvânia Maria da Silva. O Ministério Público da Bahia (MP) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), além do Senado, por meio da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico Nacional e Internacional de Pessoas, investigam irregularidades no processo de adoção.

Com a decisão, que atendeu à solicitação feita pelo MP no dia 12, o magistrado também definiu que as crianças serão acolhidas provisoriamente em Poá, no interior de São Paulo, para que seja feito um processo de readaptação com os pais biológicos.

Segundo denúncia do MP, o processo de adoção foi irregular. Dois policiais levaram os filhos do casal em junho de 2011, depois de determinação do então juiz da comarca, Vítor Manoel Xavier Bizerra. Na época, a menina, caçula da família, tinha 2 meses. Dois meninos foram adotados por dois casais residentes em Campinas e as outras três crianças estão sob a guarda de dois casais de Indaiatuba.

Investigado pelo CNJ, Bizerra disse na CPI que sua decisão por determinar a retirada das crianças dos pais biológicos foi tomada com base em relatórios do Conselho Tutelar e do próprio MP. Ele alegou que Souza é alcoólatra e que Silvânia se prostituía - os dois negam as acusações.

Ministra é contra aumento de pena para adolescente infrator

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, afirmou nesta terça-feira ser contrária ao aumento das penas a crianças e adolescentes infratores. A lei em vigor, que determina punição máxima de três anos de apreensão, foi criticada na segunda-feira pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

"Sou contrária à ampliação das penas porque as unidades (onde os infratores cumprem pena) não têm projeto de reinserção educacional, de formação profissional, de recuperação da situação da dependência química e atendimento em saúde. Com o aumento, só vamos condenar o jovem a ficar mais tempo em um lugar que não lhe oferece nenhuma recuperação", disse a ministra.

Maria do Rosário afirmou que, embora o Estatuto da Criança e do Adolescente determine separação entre infratores menores e maiores de 18 anos, na prática, essa divisão não é cumprida. Ela defendeu a importância de medidas preventivas. "Agir preventivamente, dando perspectivas de vida aos jovens, é mais importante do que buscar soluções em princípio simpáticas à opinião pública, mas que não oferecem de fato solução para a violência e criminaliza ainda mais a juventude", afirmou a ministra, que participou do Seminário Latino - Americano sobre Lugares de Memória, no Rio.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Convite: Curso de Capacitação de Conselheiros Tutelares


Sessão especial em homenagem ao Conselho Tutelar tem participação da Defensoria

Terça, 27 de Novembro de 2012, 10h45 - última atualização: 27/11/2012 10:47
Por Camila DRT 3776
A Defensoria Pública da Bahia esteve presente na última sexta-feira (23), na sessão especial promovida na Assembleia Legislativa da Bahia em homenagem ao Dia Nacional do Conselho Tutelar, comemorado em 18 de novembro. A coordenadora da especializada dos Direitos da Infância e Juventude, Hélia Barbosa, representou a defensora pública geral, Célia Padilha, e falou sobre a importância destes profissionais na implementação de políticas públicas de atendimento e medidas preventivas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA.

"Este encontro é uma forma de socializar o valor do trabalho do Conselho Tutelar, reconhecido por Lei como um Órgão permanente, cuja missão de zelar pelas crianças e adolescentes lhe confere importância vital à sociedade", afirmou a defensora. Ainda segundo Hélia Barbosa, o Conselho Tutelar e a Defensoria Pública possuem papéis semelhantes no que diz respeito à garantia da proteção integral de crianças e adolescentes. "A Defensoria vem atuando em parceria com os conselhos tutelares de Salvador, seja através de participações em cursos de capacitação ou, ainda, prestando orientações jurídicas em casos atendidos pelo Conselho", lembrou.

Além de destacar o trabalho dos conselheiros na consolidação dos direitos da infância e juventude, a sessão também chamou atenção para as dificuldades pelas quais estes profissionais passam - como a falta de estrutura adequada dos conselhos na Bahia. "Em uma das últimas reuniões realizadas entre a Defensoria e a comissão representativa dos Conselhos Tutelares de Salvador, problemas como falta de material de expediente, baixo quadro de pessoal no apoio administrativo e precariedade de equipamentos básicos foram relatados", pontuou Hélia Barbosa.

A TRISTE HISTÓRIA DO PAÍS SEM MINISTÉRIO PÚBLICO

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Adiamento do XV Entrontro Estadual de Conselheiros Tutelares

Ipiaú, 18 de novembro de 2012.


Para: Conselheiros Tutelares e operadores do sistema de garantia dos direitos da criança e do adolescete.


Adiamento do Encontro Estadual

Senhores(as)


O Fórum Permanente dos Conselhos Tutelares do Estado da Bahia, informa aos(as) Conselheiros(as) Tutelares e de Direito do Estado da Bahia,   que o 15º Encontro Estadual do Conselheiros Tutelares da Bahia, que seria realizado nos dias 22 e 23 de novembro de 2012, foi adiado em virtude de solicitação de vários conselheiros que suas prefeituras estão em transição por isso não dispõe de condições para participarem do Congresso neste momento. OBS: Tão logo tenhamos outra data lhe informaremos.


 Atenciosamente,


Bel. Adm. Uellington Souza Reis

Coordenador do Fórum Estadual dos Conselhos Tutelares da Bahia
(73) 8807- 4477


COMISSÃO ORGANIZADORA DO EVENTO


Conselheiros tutelares são homenageados em Brasília

Dep. Márcio Marinho PRB-BA/Foto: Douglas Gomes

Os Conselheiros Tutelares de todo o Brasil foram homenageados em sessão especial na Câmara dos Deputados, em Brasília, pela passagem do seu dia, 18 de novembro.

De autoria do deputado federal Márcio Marinho, a sessão objetivou lançar luz sobre a situação ainda difícil no que se refere ao desempenho das atividades do cargo de Conselheiro Tutelar em todo o país.

Marinho disse que apesar das dificuldades enfrentadas, os conselheiros têm demonstrado o quanto são importantes no combate à violência e na proteção da criança e adolescente em situação de risco. “Os conselhos tutelares enfrentam problemas, mas vemos também o esforço que os conselheiros, de ponta a ponta do Brasil, fazem para mudar essa realidade”, disse Marinho.


O parlamentar baiano destacou também que na Bahia a totalidade dos 417 municípios baianos têm instalados os conselhos tutelares muito embora em alguns o funcionamento seja precário. “Há casos de conselheiros com até três meses de salários atrasados. Em Salvador, por exemplo, dos 18 conselhos previstos, apenas 13 estão de fato instalados, e essa realidade, lamentavelmente, se repete no interior da Bahia”, disse.


Outro caso relatado foi do Conselho 18, que ainda não está instalado e conta com 3 conselheiros empossados e que não têm onde trabalhar. O 14, que deveria estar instalado na Ilha dos Frades atendendo a toda aquela região funciona no Conselho 9, que fica no Subúrbio Ferroviário e Conselho 16 que deveria funcionar em Ipitanga, está funcionando no Conselho 5, que fica em Itapoan. Os avanços obtidos também foram lembrados, a exemplo da aprovação da lei que aumentou o mandato do conselheiro de 3 para 4 anos com a possibilidade de recondução ao cargo mediante nova eleição.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Monte Santo: Ministério Público solicita revogação de guarda provisória de crianças

Assessoria de Comunicaçãoo Social        Classificação da Notícia: Infância e Juventude
19/11/2012 16:12:45
Redatora: Aline D'Eça (MTb-BA 2594)

Monte Santo: Ministério Público solicita
revogação de guarda provisória de crianças 

O Ministério Público do Estado da Bahia protocolou hoje, dia 19, um requerimento solicitando a revogação das guardas provisórias de cinco crianças do município baiano de Monte Santo (a 352 km de Salvador) que foram entregues a famílias paulistas. No documento, direcionado ao juiz da comarca, o promotor de Justiça Luciano Taques Ghignone requer que seja promovida a aproximação prévia das crianças com a mãe biológica em um ambiente apropriado no município de Poá, no interior de São Paulo, próximo ao local em que as crianças se encontram atualmente, conforme sugestão da Secretaria Nacional de Direitos Humanos.

A solução foi pensada conjuntamente pelo Ministério Público e pelo Juízo de Direito, que entenderam que o retorno imediato e sem acompanhamento das crianças não era recomendável, tendo em vista que poderia afetar o estado psicológico delas. Segundo o promotor de Justiça, as crianças deverão passar por um estágio de readaptação com a mãe Silvânia Mota da Silva, sob a supervisão de profissionais da área da infância e juventude, de modo a evitar qualquer impacto psicológico. “Esta é uma cautela que a Promotoria de Justiça vem tendo desde o início: buscar sempre, acima de tudo, a proteção dos interesses das crianças”, afirma Luciano Ghignone.

 

ASCOM/MP – Telefones: (71) 3103-0446/ 0449/ 0448/ 0499/ 6502

Unidade de acolhimento de crianças e adolescentes será criada por meio de consórcio entre municípios

Assessoria de Comunicação Social        Classificação da Notícia: Infância e Juventude
20/11/2012 15:41:33
Redatora: Milena Miranda (DRT Ba 2510)

Unidade de acolhimento de crianças e adolescentes será criada
por meio de consórcio entre municípios

Com o objetivo de criar uma unidade na forma de casa-lar para atendimento de crianças e adolescentes desamparados ou em situação de risco, os prefeitos dos municípios de Itiruçu, Carlos Roberto Martinelli Lervese; Lafaiete Coutinho, Zenildo Brandão Santana; e Lajedo do Tabocal, Mariângela Santos da Silva Borges, firmaram Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público estadual, por intermédio da promotora de Justiça Laise de Araújo Carneiro. Todos eles se comprometeram a formalizar um consórcio público para financiarem conjuntamente a estruturação e manutenção na sede do município de Lafaiete Coutinho de uma casa-lar, que deverá ter capacidade para atender até 15 crianças e adolescentes.

Segundo o termo, a casa deverá seguir os preceitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), tais como a preservação dos vínculos familiares e promoção da reintegração familiar; desenvolvimento de atividades em regime de co-educação e participação dos abrigados na vida da comunidade local. Para manter a instituição, os prefeitos poderão utilizar a estrutura dos órgãos existentes em qualquer dos três municípios, desde que mantenham a presença de uma equipe de profissionais qualificada, formada por psicólogos, pedagogos e assistentes sociais.

Os prefeitos que assinaram o TAC se comprometeram a assegurar integralmente os recursos materiais indispensáveis à manutenção da unidade, que inclui a remuneração dos funcionários, aquisição de bens móveis, gastos com água, luz, alimentação, medicamentos e demais necessidades básicas. A participação de cada município nas despesas de manutenção e instalação será proporcional à respectiva população do município, segundo dados do censo do IBGE. A promotora de Justiça Laise Carneiro ressalta que o TAC visa garantir o efetivo respeito aos direitos e garantias legais das crianças e adolescentes.

Para deputados, nova lei valoriza conselheiros tutelares

Luis Macedo
Dep. Márcio Marinho (PRB/BA)
Deputado Márcio Marinho (PRB-BA)
Deputados foram unânimes em elogiar, nesta segunda-feira (19), a recente aprovação e sanção da Lei 12.696/12, que confere novas garantias aos conselheiros tutelares. Na sessão solene da Câmara para homenagear o Dia Nacional do Conselheiro Tutelar, comemorado no dia 18, os parlamentares afirmaram que a nova lei valoriza o profissional, cuja função é zelar, em âmbito municipal, pelos direitos das crianças e dos adolescentes.

A lei, que modificou o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei
8.069/90), foi aprovada na Câmara em junho. Ela garantiu aos conselheiros pagamento pelo trabalho e acesso integral aos direitos trabalhistas, como cobertura previdenciária, férias anuais remuneradas, licença-maternidade ou paternidade, além de 13º salário. Conforme o texto, lei municipal ou distrital definará o salário dos conselheiros. Até então, o estatuto deixava brecha para que cada município e o Distrito Federal decidissem se os conselheiros teriam ou não salário.

O deputado Márcio Marinho (PRB-BA), que sugeriu a sessão solene, destacou ainda que a lei alterou o mandato dos conselheiros tutelares de três para quatro anos. Na sua visão, isso dará tempo para os conselheiros para colocarem projetos em prática.


Já a deputada Erika Kokay (PT-DF), que foi relatora da proposta na Câmara, lembrou que a data de eleição dos conselheiros será unificada nacionalmente e isso garantirá mais visibilidade a esses profissionais. “Valorizar e defender o conselheiro tutelar é uma questão de dar visibilidade aos problemas enfrentados pelas crianças e adolescentes brasileiros”, ressaltou Kokay.


Arte de ser criança‏

Frei Betto
Escritor e assessor de movimentos sociais
 
 
No Jardim de Infância, em Belo Horizonte, nossas tarefas consistiam em sonhar, imaginar, colorir, desenhar, moldar em argila estranhas figuras, empilhar cubos de madeira que, sobrepostos, se transformavam em casas, pontes, prédios e castelos. Dispostos em linha reta, viravam ferrovias, carruagens, estradas. Em círculos, arenas circenses, represas ou lagos.

Esse entrelaçar de tato, visão e imaginação organizava meu mundo interior. Bastavam poucos apetrechos para meus sentimentos encontrarem expressão nos objetos manipulados ou nas linhas de meus desenhos. Ao fazê-lo, adquiria uma certa distância relacional: os pássaros falam linguagens que só eles entendem; dragões, bruxas e duendes, que povoavam o meu imaginário, não eram pessoas como meus pais, nem coisas como os paralelepípedos que calçavam as ruas, e sim entidades espirituais, como Deus e anjos, com as quais mantinha relações de temor, reverência e fascínio.

O melhor da infância é o mistério. Povoa a criança com uma força imponderável, superior a todas as realidades sensíveis. O mistério seduz e, tecido em encantos, assusta ou atrai ao não mostrar o rosto nem pronunciar o próprio nome. Habita aquela zona da imaginação infantil tão indevassável quanto impronunciável. Nela, as conexões rompem limites e barreiras, o inconsciente transborda sobre o consciente, o sobrenatural confunde-se com o natural, o divino permeia o humano, e o insólito, como dragões e piratas, é de uma concretude que só a cegueira dos adultos é incapaz de enxergar.

Os adultos devem manter-se à distância quando a criança se encontra mergulhada em seu universo onírico. Ela sabe que carrega em si um tesouro de percepções que os olhos alheios não podem perscrutar. Recolhida a um canto, deitada em sua cama ou brincando em companhia de seus pares, deixa fluir os seres virtuais que habitam o seu espírito e com quem estabelece um diálogo íntimo, livre das amarras de tempo e espaço. Tudo flutua dentro dela, graças à ausência de gravidade que a caracteriza.

Se um adulto interfere, quebra-se o encanto. Tudo se torna pesadamente aritmético, como se a ave, aprisionada no chão, ficasse impedida até mesmo de sonhar com o voo, reduzida aos movimentos contidos de seus passos.

sábado, 17 de novembro de 2012

CONSELHOS TUTELARES NO BRASIL: O QUE TEMOS A COMEMORAR?


Nestes 22 anos de existência, entre vários avanços e retrocessos na politica de atenção e defesa dos direitos humanos de crianças e adolescentes, um órgão tem papel fundamental neste processo e com ele, seu executor, o(a) Conselheiro(a) Tutelar (CT).

Se outrora, limitações no ECA/90 não garantiam a atuação efetiva dos Conselhos Tutelares (CTs), recente resolução nº 152 de 09/08/12 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), definiu parâmetros mais explícitos para a atuação dos CTs e a Lei nº 12.696/12, garantiu-lhes os direitos trabalhistas.

O que temos a comemorar após décadas de luta que resultaram em 1990, na aprovação da lei 8069, Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA/90?

No dia Nacional do Conselheiro(a) Tutelar, 18 de novembro, a realidade, revela o quadro caótico dos CTs no Brasil, apresentado a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal. Segundo o ECA/90, cada município deve ter criado legalmente, no mínimo, um CT, composto de cinco membros, eleitos pela comunidade local para um mandato de quatro anos, permitida uma recondução, sendo necessário, que o candidato tenha mais de 21 anos, resida na cidade e possua idoneidade moral reconhecida. O processo de escolha deverá ser conduzido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA). A partir de 2015 a data de eleição será unificada para todo o Brasil, o primeiro domingo do mês de outubro do ano seguinte ao da eleição presidencial, a posse ocorrerá em 10 de janeiro do ano seguinte ao da escolha.

Mensagem da Ministra Maria do Rosário em Homenagem ao Dia Nacional dos Conselheiros (as) Tutelares

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Direito de gestantes a ter acompanhante no parto será discutido em Feira de Santana

Assessoria de Comunicação Social        Classificação da Notícia: Saúde
13/11/2012 15:34:03
Redatora: Aline D'Eça (MTb-BA 2594)

Direito de gestantes a ter acompanhante
no parto será discutido em Feira de Santana


As gestantes atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) têm o direito à presença de acompanhante durante o parto e pós-parto, garantia estabelecida pela Lei nº 11.108/2005 e regulamentada pela Portaria nº 1.459/2011 do Ministério da Saúde. Para a efetivação desse direito nas maternidades públicas de Feira de Santana (município localizado a 109 km de Salvador), o Ministério Público do Estado da Bahia realizará, no próximo dia 22, uma reunião técnica para discutir o tema. Iniciativa da 2ª Promotoria de Justiça de Feira de Santana, cuja titular é a promotora de Justiça Luciélia Lopes, a reunião acontecerá no auditório do Colégio Estadual Luís Eduardo Magalhães (na Rua Vasco Filho, s/nº), das 8h30 às 12h, e contará com o apoio da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab).

Profissionais de saúde da rede pública, entidades que atuam na defesa dos direitos da mulher, da criança e da saúde pública, bem como a sociedade em geral, podem participar da reunião, que contará com a participação de representantes da Sesab, Maternidade Tsyla Balbino, Hospital Geral Roberto Santos e Maternidade Albert Sabin. De acordo com informações do Ministério da Saúde, estudos científicos brasileiros e internacionais realizados em mais de cinco mil mulheres indicam que as gestantes que contam com um acompanhante no parto e no pós-parto ficam mais tranquilas e seguras durante o processo. Além disso, a presença do acompanhante contribui para redução do tempo do trabalho de parto; ajuda a diminuir o número de cesáreas (partos cirúrgicos); reduz a possibilidade da paciente sofrer de depressão pós-parto; e oferece mais segurança à mulher nas tarefas básicas com o bebê.

 

DIABETES: PROTEJA NOSSO FUTURO!

Ou descobrimos o Diabetes, ou ele nos descobre e nos deixa mais próximos do caixão, cuide-se!

Alguns anos atrás cheguei ao meu departamento na UESB e, como costumeiramente faço, encontrei em meu escaninho o calendário dos dias letivos. Não consegui ler! Fui de setor em setor reclamando como a Universidade poderia divulgar algo tão minúsculo que ninguém conseguia ler? No último departamento que entrei a secretária, muito gentilmente, depois de ouvir minha queixa, me aconselhou, a procurar um oftalmologista! Segui seu conselho e saí do consultório médico com a receita dos óculos e um monte de pedidos de exames (sumario de urina, sangue etc). Ao pegar os resultados dos exames todos indicaram o que eu não imaginava: o DIABETES.

Começou então a minha luta. No primeiro instante, desespero! Depois intelectualizei a doença e procurei ler tudo sobre o diabetes, suas causas, o que fazer, como conviver. Depois, as atitudes, “fechar a boca” e recomeçar a pratica esportiva! Mas tudo parecia não bastar diante da possibilidade eminente do risco de morte!

Nas minhas leituras descobri que existem dois tipo de diabetes, o tipo 1, que surge quando o organismo deixa de produzir a insulina, ou a produz apenas em uma quantidade muito pequena, provocando o aumento do nível de açúcar no sangue (glicemia); e o diabetes tipo 2, quando há produção de insulina pelo pâncreas, mas as células musculares e adiposas (de gordura) não conseguem absorvê-la. 

Quando o organismo deixa de produzir a insulina é preciso tomar injeções diárias de insulina para regularizar o metabolismo do açúcar. Na diabetes tipo 2, mesmo com a determinação do fator hereditário maior do que no tipo 1, há uma grande relação com a obesidade e o sedentarismo. Estima-se que 60% a 90% dos portadores do diabetes tipo 2 sejam obesos.
Há ainda outros tipos de diabetes menos comuns: o diabetes gestacional (alteração das taxas de açúcar no sangue detectada pela primeira vez na gravidez, mas que pode persistir ou desaparecer depois do parto) e o diabetes secundário ao aumento de função das glândulas endócrinas (em casos de tireóide, problemas na supra-renal e na hipófise ou em tumores no pâncreas).

LIXO CULTURAL: SERÁ QUE CHEGAMOS AO FIM DO POÇO?

Já faz algum tempo que venho observando o que nós, brasileiros, estamos “consumindo” através das mídias de massa (principalmente TV e rádio). E, para ser sincero, tenho sentido certo incômodo com a maneira com que alguns valores, considerados até a pouco tempo como necessários para manutenção da coletividade, têm sido desconstruídos.
 
O que me leva a trazer esse sentimento de incômodo a público não é o fato de achar que os valores são imutáveis ou de pensar que no passado as coisas eram melhores. Pelo contrário, eu acredito na dinâmica da história humana e não sofro de qualquer mal do saudosismo. O que me move neste momento é exatamente a preocupação em ver conquistas da humanidade importantes porque permitiram a liberdade, a emancipação de grupos até então discriminados, serem tratadas com banalidade e até ridicularizadas.
 
Compreendo, que a complexidade do conceito de cultura implica em uma visão antropológica, uma rede de significados que dá sentido ao mundo que cerca um indivíduo, a sociedade. Essa rede engloba um conjunto de diversos aspectos, como crenças, valores, costumes, leis, moral, línguas, etc.
 
Entretanto, qual foi a minha surpresa quando por ocasião do início de uma dessas novas novelas, li o seguinte comentário do telespectador: “um sucesso, estou ansioso para o segundo capítulo, pois, no primeiro, quase aconteceu um estupro!”. Na minha surpresa, fiquei  perguntando o que seria uma mulher para aquele jovem. O que ele poderia considerar como “um sucesso” ver (talvez ao lado de sua mãe ou namorada) uma mulher ser subjulgada e violentada simplesmente pelo fato de ser uma mulher. Isto é divertimento?
 
Será que chegamos ao fim do poço?
 

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Inscrições para o 3º Concurso Aprender e Ensinar terminam no próximo dia 26 de novembro

As inscrições para o 3º Concurso Aprender e Ensinar- Tecnologias Sociais, promovido pela revista Fórum e Fundação Banco do Brasil, estão na reta final. Professores de todo o País têm até o dia 26 de novembro para participar do prêmio, que já recebeu mais de três mil inscrições. Faça sua inscrição aqui.

Podem participar professores da Educação Básica, vinculados à rede pública, institutos federais, escolas técnicas públicas e espaços não formais de educação, como EJA e ONGs. Ao se inscrever, todos ganham uma assinatura da revista Fórum até abril de 2013 e um livro sobre tecnologias sociais. 

Para concorrer aos prêmios, o/a professor/a já inscrito deve efetuar a "Certificação”, que consiste em responder duas perguntas sobre a iniciativa desenvolvida ou que pretende realizar na escola. 

A partir das respostas, serão selecionados 64 finalistas que ganharão um tablet e vão participar de seminário em Brasília, nos dias 22 e 23 de fevereiro de 2013. No evento serão anunciados os seis vencedores, que irão à Tunísia para participar do Fórum Social Mundial 2013, de 23 a 28 de março. 

Lídice da Mata pede prisão de intermediadora de adoções na Bahia

A relatora da CPI do Tráfico Nacional e Internacional de Pessoas, senadora Lídice da Mata (PSB-BA), pedirá a prisão preventiva de Carmem Kiechofer Topschall, suspeita de intermediar adoções irregulares, convencendo ou forçando famílias pobres do interior da Bahia a abrir mão da guarda de seus filhos em favor de casais de outros estados. Ela é acusada de arranjar novas famílias a cinco crianças, filhos de Silvânia Maria da Silva e Gerôncio de Brito Souza, do município de Monte Santo, na Bahia. Todos foram entregues a casais de Indaiatuba e Campinas, no interior de São Paulo, em maio passado.

- É a segunda audiência para qual Carmen é convocada e não comparece. A prisão dela é necessária para que sejam esclarecidas as circunstâncias em que estas crianças foram levadas - declarou Lídice da Mata, durante audiência pública da CPI realizada nesta segunda-feira (12), na Assembleia Legislativa da Bahia.

Carmem Topschall não aparece desde que foi entrevistada pelo programa Fantástico, da TV Globo, no início de outubro, na casa onde residia com os três filhos adotivos em Pojuca, na região metropolitana de Salvador, a mais de 350 km de Monte Santo.

Na audiência, a deputada estadual e ex-prefeita do município, Maria Luiza Laudano, contou que Carmen Topschall chegou a Pojuca há oito anos para abrir uma empresa de beneficiamento e exportação de vísceras. Mais de 600 pessoas teriam sido treinadas para um trabalho que nunca foi executado.

O juiz Vitor Manuel Sabino Xavier Bizerra, que concedeu a guarda provisória aos casais paulistas, também não compareceu, mas enviou justificativa à CPI, colocando-se à disposição para depor em outra oportunidade. Os trabalhos foram presididos pelo vice-presidente interino da CPI, Paulo Davim (PV-RN). A mesa foi composta pelo promotor Luciano Taques Ghignone, a defensora pública Laíssa Araújo e os advogados Isadora Costa Pinto e Mauricio Freire Alves, que representam os pais biológicos das cinco crianças.

Mães de jovens em conflito com a lei compartilham experiência na Defensoria


Fotos: Luana Rios
Iraildes é fornecedora de quentinhas e mora no bairro Jardim Esperança, em Salvador. O filho dela é um dos 16 jovens que cumprem medidas socioeducativas, em meio aberto, este ano, na Defensoria Pública da Bahia. Assim como Iraildes, as mães desses adolescentes compareceram, na tarde desta quarta-feira (07), à sede administrativa da Instituição para compartilhar experiências sobre a participação dos filhos no cumprimento das medidas. 

A defensora pública e diretora da Escola Superior da Defensoria (Esdep), Sonia Santana, iniciou as atividades ao falar sobre a importância da oportunidade para os jovens. "Errar todos nós erramos, o imprescindível é querer recomeçar. Cada um precisa fazer sua parte e a Defensoria está de braços abertos para recebê-los", incentivou. De acordo com dados da Esdep, seis adolescentes terminarão de cumprir as medidas socioeducativas este mês. 

No segundo momento, as mães compartilharam a trajetória dos adolescentes no descumprimento da lei. "Minha filha namorava um rapaz envolvido no tráfico. Ela foi pega com drogas na mochila duas vezes", contou a cuidadora de idosos, cuja filha, hoje, está grávida de cinco meses. Já Iraildes, apesar de acreditar que o filho de 18 anos não teve envolvimento no crime, acompanha de perto o cumprimento da medida do jovem. "Ele é um menino bom, mas já que ficou decidido assim, quero que ele cumpra tudo direitinho e fique correto com a lei", relatou a mãe.

Vara da Infância e Juventude de Itabuna capacita pretendentes à adoção e realiza audiências concentradas

A Vara da Infância e Juventude de Itabuna realizou, na última semana, um curso de capacitação psicossocial e jurídico para cerca de dez casais pretendentes à adoção. O professor Antonio Formigli e a psicóloga Gerbara Dias abordaram o aspecto psicológico da adoção, realçando a necessidade de preparação dos pretendentes para o recebimento de uma criança no seio familiar.

Dentre as orientações principais, o alerta dos especialistas para que as famílias não criem expectativas baseadas em um exemplo de criança “ideal”, mas de um ser humano concreto, com todos os seus problemas e dificuldades, ressaltando que a decisão deve ser madura e reflexiva, por se tratar, afinal, de uma escolha definitiva.

A assistente social Terezinha Franco, integrante da equipe técnica da Vara da Infância e Juventude, ressaltou que o pretendente não precisa ter muito dinheiro para adotar uma criança, mas é imprescindível que possa oferece uma boa estrutura familiar e um ambiente sadio para o pleno desenvolvimento do novo integrante. A dificuldade financeira não deve ser um impedimento para a adoção, pois as famílias mais pobres podem ser inseridas em programas sociais oferecidos pelo Governo.

O juiz Marcos Bandeira, titular Vara da Infância e Juventude de Itabuna, ressaltou o aspecto jurídico, argumentando que a adoção é a maneira mais completa de inserção de uma criança na família substituta, se constituindo, assim, em uma decisão irrevogável. O registro no Cadastro Nacional de Pretendentes é o primeiro passo para o pretendente se habilitar para adotar uma criança em qualquer Comarca do território brasileiro.

Município de Jequié se compromete a estruturar entidades de acolhimento de crianças e adolescentes

Assessoria de Comunicação Social        Classificação da Notícia: Infância e Juventude
09/11/2012 16:16:32
Redatora: Maiama Cardoso MTb/BA - 2335

Município de Jequié se compromete a estruturar
 entidades de acolhimento de crianças e adolescentes

Irregularidades detectadas em duas entidades de acolhimento de crianças e adolescentes mantidas pelo Município de Jequié devem ser sanadas após o prefeito Luiz Carlos Amaral firmar Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público estadual. Já nos próximos 180 dias, informa o promotor de Justiça Rafael de Castro Matias, o Abrigo Infantil Malvina Costa e a Casa de Acolhimento Noturno da Criança e do Adolescente deverão contar com estrutura de pessoal adequada para atendimento.

Também nesse prazo, o Município terá que criar, no âmbito do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), equipe específica para trabalhar com situações em que o motivo do afastamento familiar envolva violência intrafamiliar, dos tipos física, psicológica, sexual e negligência grave, de modo que se garanta uma atuação articulada com a equipe multidisciplinar das entidades de acolhimento institucional. Outra obrigação assumida perante o MP foi a de que o Município irá elaborar o Plano de Atendimento Individual e Familiar de cada um dos usuários do abrigo e da casa de acolhimento, sendo que, esta última, terá que funcionar em prédio com aspecto residencial e com condições para abrigamento de até 20 adolescentes. Atento à chegada da maioridade, o Município deverá elaborar plano para subsidiar a preparação de desligamento dos usuários do serviço de acolhimento, analisando inclusive a possibilidade ou necessidade de estabelecimento de uma república para jovens e a instituição de programa específico de profissionalização.
 

ASCOM/MP – Telefones: (71) 3103-0446/ 0449/ 0448/ 0499/ 6502

Disque Denúncia Nacional - DDN 100